Acessibilidade: A+ A() A-

 NOTÍCIAS

Região do Bailique receberá atendimentos do Barco Extensionista

Por: Nathacha Dantas - 24/11/2017 - 21:20

Embarcação levará diversos atendimentos às comunidades do Arquipélago do Bailique.

Com o objetivo de prestar assistência técnica e promover a cidadania dos que habitam as comunidades mais distantes, o escritório fluvial do Instituto Rural do Amapá (Rurap) segue para mais uma missão, desta vez no Arquipélago do Bailique, no período de 29 de novembro a 2 de dezembro. As ações estarão concentradas em Vila Progresso e Itamatatuba para atender os agricultores familiares de 36 comunidades da região.

As atividades iniciam-se na quarta, 29, às 8h. A embarcação ficará aportada em Itamatatuba, na foz do Rio Amazonas, para dar assistência às comunidades de Igarapé Grande do Curuá I e II, Limão do Curuá I e II, Ponta do Curuá, Foz do Gurijuba, Ilinha, Jaburuzinho, Jangada, Jangadinha, Andiroba/Junco, Jupati, Cobra, Capim e Mamão. Palestras, demonstrações de técnicas e outros serviços, que demandem maior concentração de pessoas, serão desempenhados no espaço da igreja evangélica Assembleia de Deus até quinta-feira,30.

Nos dias 1 e 2 de dezembro (sexta e sábado), os serviços terão continuidade em Vila Progresso, a partir das 8h, no barco, atendendo os agricultores familiares das comunidades de Carneiro, Cubana/São Pedro, Buritizal, Nossa Senhora de Aparecida, Jaranduba, Vila Macedônia, Marinheiro de Fora, Freguesia, Ponta da Esperança, Igarapé do Meio, Capinal, Arraiol, Livramento, Santo Antônio, Ezulai, Igaçaba, Maranata, Equador e Filadélfia. As atividades de campo se concentrarão na Escola Bosque.

Até sábado, 2, a expectativa é de que sejam realizados mais de 600 atendimentos nas regiões ribeirinhas do Bailique. Nesta ação do barco, a quantidade de regiões assistidas é mais que o dobro comparada a primeira, que ocorreu no município de Mazagão.

De acordo com gerente regional leste do Rurap, Raimundo Viana, a chegada do escritório móvel às comunidades mais remotas é garantia de acessibilidade. “Estamos avançando no quesito serviço de qualidade, pois o agricultor que tem dificuldade de locomoção se sente satisfeito quando o serviço chega até ele, no seu ambiente, na sua região. E a cada ação estamos mais empenhados em atender nosso público”, afirma.

Atendimentos

A unidade móvel fluvial comporta 20 técnicos multidisciplinares, que prestarão diversos serviços essenciais no suporte e desenvolvimento do setor primário no Amapá.

Os atendimentos desta ação contemplam: emissão de Carteira de Identidade Rural; visitas técnicas a produtores em suas unidades de produção familiar para prestação de serviços de Ater, orientações sobre os benefícios sociais disponíveis a agricultores, levantamento de campo para emissão de Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), orientações a agricultores e extrativistas sobre o Pronaf e o Fundo de Desenvolvimento Rural (Frap), emissão de declaração para aposentadoria rural e auxílio maternidade para agricultoras, emissão gratuita de documentos pessoais como 1ª e 2ª vias da carteira de identidade, cartão do SUS, CPF; treinamentos práticos sobre a fabricação de filtros alternativos com material de baixo custo e orientação aos moradores sobre a importância do consumo de água filtrada para a saúde da família e palestras de trazem assuntos de interesse dos agricultores como, por exemplo, orientações sobre como funciona o crédito empreendedor.

Para o atendimento de emissão de novos documentos, é necessário que os agricultores estejam munidos de certidão de nascimento e casamento. Maiores de 18 anos devem apresentar o título de eleitor. Todos os serviços, taxas, fotos e xerox são gratuitos.

A ação do Governo do Amapá conta com a participação da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural (SDR), Instituto Estadual de Floresta (IEF), Agência de Fomento do Amapá (Afap) e Sistema Integrado de Atendimento ao Cidadão – Siac - Superfácil. Os sindicatos, cooperativas e associações dessas localidades também são parceiros, bem como a Frente Parlamentar em Defesa do Empreendedorismo, Cooperativismo e Economia Solidária (Fecesap) da Assembleia Legislativa do Amapá, presidida pela deputada Marilia Góes (PDT).