Acessibilidade: A+ A() A-

 NOTÍCIAS

Programa de Aquisição de Alimentos injetou mais de R$ 200 mil em Pracuúba e Amapá

Por: Weverton Façanha - 10/11/2017 - 11:40

Feiras do PAA valorizam a produção local e abastecem entidades cadastradas pelo programa nos 16 municípios do Amapá

Ao longo esta semana os municípios de Pracuúba e Amapá receberam a feira do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Nos dois municípios, 20 agricultores foram beneficiados, mais de 2,5 toneladas de alimentos foram adquiridas pelo governo, nessas duas feiras. Durante a execução do programa em 2016, o governo do Estado injetou mais de R$ 200 mil na economia dos dois municípios, com a aquisição de produtos da agricultura familiar.

No município de Pracuúba, cinco entidades receberam mais de 1,5 tonelada de produtos como cebolinha, coentro, couve, pimentinha verde, banana, mamão, peixes e galinha caipira. O valor investido pelo governo nesta ação ficou em torno de R$ 10 mil.

Para o técnico extencionista do Rurap em Pracuúba, Uislei Sousa, o programa só trouxe benefícios para a comunidade. “Estamos desde o início do programa e observamos que houve um incentivo à produção e uma diversificação dos produtos. No atual cenário podemos ver a satisfação do agricultor, pois, ele sabe que seus produtos são comprados e servem para alimentar pessoas da própria comunidade”, frisou.

O agricultor Júlio Freitas, 63, da comunidade de Cujubim, destacou que muitas das vezes seu produto era perdido pelo fato de não ter comprador. “Por várias vezes nossos produtos estregaram e não conseguimos vender, mas com a chegada desse programa, tudo mudou e felizmente hoje conseguimos vender tudo e sustentar nossa família de maneira melhor”, declarou.

Em Pracuúba, desde de 2016, mais de R$ 100 mil foram aplicado na aquisição dos produtos e cerca de 900 pessoas foram beneficiadas com a ação das feiras do PAA.

Outro município que recebeu a ação da feira do Programa de Aquisição de Alimentos foi Amapá, que na última quarta-feira, 8, realizou o encerramento da ação neste ano. Seis instituições, sendo quatro escolas do município, foram atendidas e cerca de 1 tonelada em alimentos foi adquirida, com um valor estimado de cerca R$ 10 mil.

Os produtos comprados pelo programa foram, em sua maioria, alface, banana, cebolinha, couve, pepino, maxixe, pimenta verde, peixes e galinha caipira.

Somente no segundo semestre deste ano as feiras no município de Amapá injetaram na economia da cidade R$ 65 mil, e durante o ano de 2017, os recursos atingiram mais de R$ 100 mil. O programa atendeu mais de 30 agricultores, nos últimos dois anos.

Para Dilaci Mendes, 49, agricultora no assentamento de Cruzeiro, o programa foi uma das melhores coisas que ocorreu para ela, como trabalhadora. “É um grande incentivo para nós, que muitas vezes não conseguimos escoar nossa produção. Com esse dinheiro e nosso trabalho, já até conseguir aumentar minha área de plantio”, revelou.

No Amapá, o programa abrange os 16 municípios e nos meses de novembro e dezembro estão ocorrendo as últimas ações deste ano. Segundo a coordenadora do PAA, Darciane Gomes, o programa sempre foi muito bem aceito pelos produtores e entidades beneficiadas pelas ações do PAA.

“Observamos que em todas as localidades tanto os agricultores como os representantes das entidades, saem satisfeito com os resultados. E esperamos continuar em 2018, com este programa que deu certo em nosso Estado”, disse.

Após as feiras em ambos os municípios ocorreu a entrega de várias bolsas ecológicas do programa Ecoart, desenvolvido pela Secretaria de Trabalho e Empreendedorismo (Sete) em parceria com o Rurap, aos agricultores. O objetivo é para que os produtores utilizem o acessório para acondicionar os produtos durante o deslocamento para as feiras. O material usado na confecção das bolsas foram as lonas usadas em diversos ambientes da Expofeira do ano de 2015.

Programa

Criado em 2003, o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) é uma ação do governo federal, com execução dos estados, para colaborar com o enfrentamento da fome e da pobreza no Brasil e, ao mesmo tempo, fortalecer a agricultura familiar. Para isso, o programa utiliza mecanismos de comercialização que favorecem a aquisição direta de produtos de agricultores familiares ou de suas organizações, estimulando os processos de agregação de valor à produção.